Natureza

Buquês da Van Cleef & Arpels

A natureza é uma das principais fontes de inspiração da Maison, imbuindo as criações de vitalidade e graça poética. Dos broches de diamantes nos anos 1920 às peças de joalheria contemporâneas, os motivos florais estão no centro do universo da Van Cleef & Arpels.

  • Anúncio da Van Cleef & Arpels desenhado por René-Sim Lacaze, 1927. Arquivos da Van Cleef & Arpels.

    Anúncio da Van Cleef & Arpels desenhado por René-Sim Lacaze, 1927. Arquivos da Van Cleef & Arpels.

Encantada pelas constantes metamorfoses que animam o mundo das plantas, a Maison ecoa as infinitas formas e nuances da flora, cristalizando a leveza de um buquê ou o frescor das flores do campo. Em deslumbrante e eterna primavera, papoulas comungam com margaridas enquanto lírios-do-vale se misturam com flores de cerejeira, todas transformadas pelos talentosos artesãos dos ateliês da Place Vendôme. A Van Cleef & Arpels aplica seu icônico savoir-faire em vários campos para dar vida a criações excepcionais: por exemplo, a exímia técnica Mystery Set™, patenteada pela Maison em 1933, dá o tom aveludado do broche Pivoine (1937), originalmente um broche duplo com duas flores de rubis, uma totalmente aberta e a outra ainda meio fechada.

Cravejadas com pedras preciosas ou ornamentais, as pétalas são adornadas com materiais vibrantes. A coleção Rose de Noël™, de 1970, e a coleção Cosmos, de 1981, exibem corolas em madrepérola, coral e ônix. A coleção Frivole, apresentada em 2003, brilha com flores preciosas em ouro com polimento espelhado – uma tradicional técnica de fabricação de joias que cria um jogo de luz intenso na superfície do metal.