Ok

> > > >George Balanchine: Joias dançantes

    Lendas da Van Cleef & Arpels


    George Balanchine: Joias dançantes

    Voltar

    Um tributo às joias preciosas, o ballet Jewels foi criado graças ao encontro artístico de dois grandes homens, George Balanchine e Claude Arpels.

    Claude Arpels, sobrinho de Estelle Arpels, morava em Nova York desde 1939, época em que conheceu o famoso coreógrafo e co-fundador do New York City Ballet, George Balanchine, através de um amigo em comum, o violinista Nathan Milstein.

    Claude Arpels então convidou Balanchine para que fosse até a boutique da Van Cleef & Arpels na Fifth Avenue para admirar as maravilhosas criações da Maison. Foi da paixão em comum pelas pedras preciosas que nasceu uma cumplicidade artística que se traduziu no novo ballet de Balanchine assim como seu suntuoso figurino …

    Pierre Arpels, a bailarina Suzanne Farrell e o coreógrafo George Balanchine, por volta de 1976  - Van Cleef & Arpels
    Pierre Arpels, a bailarina Suzanne Farrell e o coreógrafo George Balanchine, por volta de 1976

    Emeralds dedicada a Fauré, Rubies a Stravinsky, e Diamonds a Tchaikovsky.

    O mês de abril de 1967 foi então marcado, em Nova York, pela estreia de Jewels, um ballet não-narrativo em três partes, cada uma tendo emprestado seu nome à cor de uma pedra preciosa diferente. Cada parte é dedicada a um compositor: Gabriel Fauré para a primeira, Emeralds, Igor Stravinsky para a segunda, Rubies e Pyotr Ilyich Tchaikovsky para a terceira, Diamonds.

    Em 2007, a Van Cleef & Arpels colaborou com o London Royal Ballet para comemorar o 40o aniversário do ballet Jewels ao criar a sua coleção de Alta Joalheria Ballet Précieux em torno de quatro temas: ballet, esmeraldas, rubis, e diamantes. A coleção consiste em uma intensa homenagem à sublime arte da dança, cada peça criando seu próprio reino encantado e encantador.

    Se você estiver interessado nesse tema, você poderá apreciar também:Os Broches Ballerina e Fairy dos anos 1940

    Voltar